Dia Mundial da Alimentação

Papa denuncia paradoxo do desperdício alimentar num mundo com fome

O Papa Francisco assinalou esta quarta-feira o Dia Mundial da Alimentação com uma mensagem ao diretor-geral da FAO, na qual denuncia o paradoxo do desperdício alimentar num mundo em que ainda existe fome.

“É cruel, injusto e paradoxal que hoje haja alimento para todos e que nem todos tenham acesso a eles ou que existam regiões do mundo em que o alimento é desperdiçado, deitado fora, consumido em excesso ou que a comida seja destinada a outros propósitos que não são alimentares”, escreve o pontífice, num texto divulgado pelo Vaticano.

Francisco liga a fome e a desnutrição a uma “lógica do mercado”, em que apenas se “procura o lucro a todo custo”, considerando a comida como “mero produto do comércio, sujeito a especulações financeiras e distorcendo o seu valor cultural, social e social, marcadamente simbólico”.

O tema proposto este ano pela FAO é “As nossas ações são o nosso futuro. Alimentação saudável para um mundo #fomezero”.

O Papa sublinha que no mundo atual há 820 milhões de pessoas com fome e também quase 700 milhões de excesso de peso, “vítimas de hábitos alimentares desadequados”.

“Os distúrbios alimentares só podem ser combatidos através do cultivo de estilos de vida inspirados numa visão grata do que nos é dado, procurando temperança, moderação, abstinência, autocontrolo e solidariedade”, pode ler-se.

A mensagem elogia ainda a prioridade dada à “proteção da família rural e à promoção da agricultura familiar”.

Fonte: Renascença

Bela Gil defende comida de verdade e proteção ambiental no Dia Mundial da Alimentação

Atualmente, as principais causas de mortes no mundo estão relacionadas às doenças crônicas não transmissíveis ocasionadas pela dieta de má qualidade, e que poderiam ser evitadas com uma alimentação saudável. O alerta foi feito pela chef de cozinha, nutricionista e apresentadora de TV Bela Gil, que participou em Brasília (DF) do início das comemorações do Dia Mundial da Alimentação.

Durante a palestra, que reuniu cerca de 200 pessoas, Bela Gil lembrou os problemas de saúde causados pela má alimentação e complementou: “precisamos mudar a maneira como nos alimentamos por uma questão de sobrevivência”. Ela afirmou que há atualmente uma epidemia de má nutrição, o que inclui a desnutrição e a obesidade.

Bela Gil participa de Simpósio Internacional sobre o Futuro dos Alimentos, na sede da FAO, em Roma (arquivo). Foto: FAO/Pier Paolo Cito

Atualmente, as principais causas de mortes no mundo estão relacionadas às doenças crônicas não transmissíveis ocasionadas pela dieta de má qualidade, e que poderiam ser evitadas com uma alimentação saudável. O alerta foi feito pela chef de cozinha, nutricionista e apresentadora de TV Bela Gil, que participou em Brasília (DF) do início das comemorações do Dia Mundial da Alimentação.

Durante a palestra, que reuniu cerca de 200 pessoas, Bela Gil lembrou os problemas de saúde causados pela má alimentação e complementou: “precisamos mudar a maneira como nos alimentamos por uma questão de sobrevivência”. Ela afirmou que há atualmente uma epidemia de má nutrição, o que inclui a desnutrição e a obesidade.

Segundo Bela Gil, alimentação saudável é aquela que faz bem para o corpo, mas também respeita a terra, a natureza, o meio ambiente e valoriza o trabalho da agricultura familiar. “Para quem não sabe, entre 70% e 80% da nossa comida vêm da agricultura familiar. Então, acho importante a gente valorizar cada vez mais o trabalho destas pessoas”, disse.

Bela Gil destacou a importância da preservação da biodiversidade, e ressaltou que, para uma alimentação saudável, é necessário uma diversificação da dieta e uma diminuição do consumo de alimentos ultraprocessados, com resgate à “comida de verdade”. Ela também defendeu que os rótulos dos produtos sejam mais claros em termos de informações aos consumidores.

Campeã Fome Zero

O assistente do representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, Gustavo Chianca; o diretor adjunto do Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos (PMA), Peter Rodrigues; e o representante do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), Klaus Reiner; fizeram uma homenagem a Bela Gil por sua atuação como porta-voz da alimentação e do desenvolvimento sustentável e, consequentemente, da boa nutrição no Brasil.

“Graças ao seu trabalho em concordância com o nosso trabalho nas Nações Unidas, hoje, temos o prazer de condecorá-la com a medalha de Campeã Fome Zero, um título que a FAO concede a personalidades com perfis de grande destaque dentro dos seus países e que são capazes de mobilizar a opinião pública em prol da conscientização para avançar rumo a uma alimentação mais saudável”, declarou Chianca. Os campeões e campeãs da FAO são peças-chave para acabar com a fome até 2030.

As celebrações no Museu Nacional, em Brasília, seguem nesta terça-feira (15). O Dia Mundial da Alimentação de 2019, comemorado em 150 países no dia 16 de outubro, traz este ano o slogan “Nossas ações representam o nosso futuro: dietas saudáveis para um mundo fome zero”.

A campanha tem o objetivo de alertar para uma alimentação mais diversificada e nutritiva, a partir de uma mudança comportamental de cada indivíduo, mas também de políticas públicas que fomentem essa transformação social e cujos impactos começarão a ser sentidos nos mais diferentes cenários.

O Dia Mundial da Alimentação também marca o aniversário de fundação da FAO, em 1945.

Fonte: ONU

loading