Notícias

Futurando discute desperdício; Comida Invisível participa. Assista!

Muitas pessoas optam por não comer carne por se preocuparem com o meio ambiente e as mudanças climáticas, afinal, o gado produz muito metano. Esta edição especial do Futurando sobre comida mostra que nem sempre trocar carne por outros produtos é a melhor opção para ajudar a preservar o clima. Um avocado que vem de longe da sua casa, por exemplo, de outro continente, pode ser bem mais nocivo ao planeta do que o bife produzido na fazenda vizinha a sua cidade.

Quem, por alguma razão, opta por não comer carne, mas sente falta do sabor da comida, pode em breve ter à disposição um novo produto: bife vegano impresso. O Futurando mostra essa ideia de uma startup espanhola que já está sendo colocada em prática.

Embora nunca se tenha produzido tanta comida, mais de 820 milhões de pessoas passam fome no mundo. Para tentar minimizar o desperdício, e ajudar milhares de pessoas, novos aplicativos de celular estão surgindo. O Futurando traz uma iniciativa na Europa e entrevista Daniela Leite, fundadora do Comida Invisível, plataforma brasileira que conecta pessoas que querem doar com aquelas que precisam de alimentos. O projeto tem o apoio de várias celebridades como Paola Carosella, Isabella Fiorentino e Marcelo Tas.

O mercado de produtos sem carne está crescendo na Alemanha. Do total de lançamentos globais na área de alimentação vegana, 15% são alemães. Um fundo de investimentos de Berlim financia startups que aliam alimentos saudáveis e gostosos à preocupação ambiental, como uma empresa de mingau de aveia que já conta com oito lojas na Alemanha.

E como a cada ano a gastronomia vegetariana ganha mais adeptos na Europa, isso impulsiona restaurantes a se especializarem na área. O Futurando vai levar você para visitar um restaurante alemão que conta com uma estrela Michelin. É o “Seven Swans”, em Frankfurt. A ideia é ser o mais sustentável possível e utilizar somente ingredientes de uma fazenda nos arredores da cidade.

Fonte: DW – Futurando

Moeda Verde completa 2 anos com 300% de aumento na entrega de recicláveis em Santo André

O Moeda Verde, iniciativa do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) e da Prefeitura, por meio do Banco de Alimentos, completou na sexta-feira (22) dois anos de implantação na cidade. Desde a sua estreia, em 2017, o programa vem acumulando resultados positivos que refletem diretamente na vida da população de Santo André.

Desde então, foram contabilizadas 232 toneladas de lixo reciclável recebidas, que se transformaram em 46 toneladas de alimentos frescos como frutas, verduras e legumes entregues aos moradores participantes. Em dois anos, já são 14 núcleos que recebem as trocas do programa – Ciganos, Capuava (o campeão da entrega de resíduos), Ciprestes, Eucaliptos, Kibon, Santa Cristina, Cristiane, Sítio dos Vianas, Cruzado, Pintassilgo, Tamarutaca, Sorocaba, Espírito Santo e Missionários.

“Nestes dois anos o moeda verde além de demonstrar na prática os benefícios da reciclagem, também transformou a vida de diversas famílias com a distribuição de mais de 45 toneladas de alimentos do nosso Banco de Alimentos. É uma alegria acompanhar a evolução deste projeto que serviu, inclusive, de exemplo para implementação em outros municípios”, afirmou a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade de Santo André, Ana Carolina Barreto Serra.

Por meio do Moeda Verde, o Semasa ainda realizou melhorias e revitalizações em seis pontos de descarte irregular de resíduos do município, transformando estas áreas em espaços de convivência e pequenas áreas verdes. Um dos objetivos do programa é exatamente conscientizar a população sobre a importância do descarte correto de resíduos e a redução dos pontos de acúmulo. Os espaços revitalizados ganham novas calçadas, floreiras, vagas para carros e, muitas vezes, pintura, o que aumenta a sensação de pertencimento das famílias que vivem no entorno destes locais.

“A população tem ampliado cada vez mais a participação nas trocas do Moeda Verde, criando hábitos sustentáveis e fortalecendo cada dia mais a iniciativa. Por onde passamos, vemos o sentimento de agradecimento dos moradores”, comemora o superintendente do Semasa, Almir Cicote.

Além disso, a partir do Moeda Verde também foram inauguradas duas Estações de Coleta – Utinga e Jardim Irene – e mais uma (Tamarutaca) deverá ser entregue até o final deste ano. Em outubro, o Semasa finalizou a terceira fase de expansão do programa com a chegada ao Núcleo Missionários (no Jardim Santo André), totalizando 70 mil pessoas sendo beneficiadas direta e indiretamente pelas ações do Moeda Verde.

Ao concluir dois anos de sua estreia, a iniciativa também tem outra marca a comemorar: um aumento de quase 300% no volume de resíduos entregues pela população de um ano para o outro, cujos materiais foram encaminhados para a reciclagem, gerando renda às cooperativas de reciclagem de Santo André, tornando a cidade mais limpa e sustentável. Além disso, o programa também permitiu estimular a economia circular e gerar riqueza, já que todas as hortaliças são adquiridas dos agricultores urbanos de Santo André.

Exemplo de sucesso, o Moeda Verde já serviu de inspiração para outras cidades do país que vieram conhecer o modelo adotado na cidade. O programa conta com um hotsite especial com todas as informações sobre as trocas e núcleos atendidos www.semasa.sp.gov.br/moedaverde.

Saiu o ebook “Meio almoço, meio café da manhã”

Direto da cozinha da Enoteca Saint VinSaint, os chefs Lis Cereja, Guilherme Cardadeiro e Leonardo Salles reuniram nesse e-book as receitas autorais que mais fazem sucesso no brunch da Enoteca: pães, bebidas quentes, ovos, vegetais, tostadas, bolos, iogurtes, lactofermentados, infusões, granolas, farinhas, tortas.

São 80 receitas com textos explicativos, fotos e muita informação sobre alimentação, ingredientes e dicas sobre saúde, reaproveitamento e sustentabilidade. Depois de muitos pedidos de amigos clientes e curiosos, reunimos as melhores receitas do Brunch da Enoteca em um só livro.

Baixe o livro agora mesmo. É só clicar!

O Papa: devemos combater o desperdício, ninguém está excluído

“Contra o desperdício e pela mudança do estilo de vida”, são as recomendações do Papa Francisco na sua mensagem ao Programa Alimentar Mundial por ocasião da 2ª sessão ordinária do Comitê Executivo

Na manhã desta segunda-feira, (18) o Papa Francisco enviou uma mensagem ao senhor David Beasley, diretor do Programa Alimentar Mundial por ocasião da abertura da segunda sessão ordinária do Comitê Executivo do órgão.

Na Mensagem, o Papa recordou que nos projetos do Programa estão sendo formuladas iniciativas concretas para tornar mais eficaz a luta contra a fome no mundo.

Contra o desperdício alimentar

“Seus projetos”, afirma o Papa, “compreendem a promoção de medidas determinantes para eliminar o desperdício alimentar, um fenômeno que grava cada vez mais na nossa consciência”.

Em seguida o Papa recorda a desigualdade entre os irmãos: lugares onde não se alimentam suficientemente e outros onde os alimentos são desperdiçados e jogados fora.

“É o que o meu predecessor São João Paulo II definiu de “paradoxo da abundância” que continua a ser um obstáculo à solução do problema da desnutrição da humanidade” afirma o Papa e continua: “O paradoxo implica mecanismos de superficialidade, negligência e egoísmo que estão na base da cultura do desperdício”.

Cumprir compromissos das agendas

Ao falar sobre os compromissos assumidos nas organizações internacionais como Agenda 2030 e Acordo de Paris, o Papa reitera:

“Alcançar estes objetivos é responsabilidade não apenas das organizações internacionais e dos governos, mas de cada um de nós” ou seja: “Famílias, escolas e meios de comunicação têm uma importante tarefa em educar para a sensibilização” e conclui: “Ninguém pode ser excluído da necessidade de combater esta cultura que oprime tantas pessoas, especialmente os pobres e vulneráveis na sociedade”.

“Stop the Waste”

Francisco elogia a campanha global do PAM “Stop the Waste” que evidencia “o quanto o desperdício danifica a vida das pessoas e o progresso dos povos”. A campanha sustenta também que o único modo de agir é mudando o estilo de vida e rejeitando todo e qualquer desperdício.

Sobre este ponto o Papa afirma: “Este novo estilo de vida consiste em valorizar adequadamente o que a Terra mãe nos dá e terá uma repercussão para toda a humanidade”.

Fonte: Vatican News

Primeira etapa do projeto ‘Inteligência Verde’ pretende plantar 40 mil mudas de lavanda em Araraquara

Inserido no Plano de Ação de Combate à Dengue, lançado pela Prefeitura no sábado (9), sob o tema ‘Todos juntos, todo dia, contra a dengue’, está o projeto ‘Inteligência Verde’. Ele compõe um dos 4 eixos de atuação da Prefeitura e seus parceiros com objetivo de combate a dengue na cidade.

Segundo Lúcia Furtado, gestora da Rádio Participativa e idealizadora do projeto elaborado e gerido em parceria com o coordenador de vigilância epidemiológica, Rodrigo Ramos, trata-se de um conjunto de ações interagindo homem e natureza que será implantado em três etapas, a começar pelo Programa Lavandas Contra a Dengue, que está em fase inicial e tem como objetivo ornamentar praças públicas de Araraquara com espécies de plantas que possuem ação repelente contra a dengue. Entre as 11 espécies elencadas, estão a citronela e a lavanda, que será o ‘carro-chefe’ da ação.

Em entrevista ao programa ‘Canal Direto’, via Facebook da Prefeitura, na sexta-feira (8), Lúcia explicou que através de uma PPP (parceria público-privada) serão plantadas cerca de 40 mil de mudas de lavanda em 30 praças públicas e também haverá distribuição de mudas para a população com o intuito de contribuir com o combate ao Aedes Aegypti, visando minimizar o uso de venenos.

“Porque a lavanda, muito além da beleza, é uma planta que gosta de sol e é resistente ao nosso clima, atrai a libélula, que é o principal predador do mosquito transmissor da dengue; além disso, seu perfume extremamente agradável também age como repelente dos mosquitos e outras pragas, atrai as pequenas abelhas jataís, que produzem um mel de altíssima qualidade e ainda tem propriedades aroma-terapêuticas conhecidas no mundo todo.”, ressalta Lúcia.

Vale destacar que as primeiras mudas de lavanda já foram distribuídas no sábado, 9,  em frente ao Paço Municipal, durante o lançamento da campanha de combate diário à dengue. Mais detalhes sobre todas as etapas do projeto ‘Inteligência Verde’, que são, respectivamente ‘Melipolinários Urbanos’ e ‘Agroflorestas Urbanas – Sintropia’ serão disponibilizadas, em breve, no site da Prefeitura.

“Esperamos que essa iniciativa pioneira sirva de referência para outras cidades da região de Araraquara e de todo o Brasil”, enfatizou Lúcia, ao destacar a importância do reconhecimento do homem como pertencente à natureza. “Afinal, a natureza nos dá todas as condições vitais e devemos respeitá-la para podermos usufruir”, conclui a gestora.

Companhia aérea adota caixa reutilizável para comida à bordo

O lixo não é um problema apenas para o poder público, as indústrias e as residências. As companhias aéreas sabem que também estão na mira dos passageiros e das organizações não governamentais, que pressionam não apenas pelo uso de combustíveis não-fósseis, mas também pela redução dos descartes produzidos durante os voos.
A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) admite que o desafio é grande. Sem uma regulamentação, diz a entidade, o volume de resíduos da cabine poderá dobrar nos próximos 10 anos, se mantida a atual taxa de crescimento de passageiros transportados.
A Iata lembra, em seu site, que a indústria aérea é criticada por não reutilizar e reciclar seus produtos de cabine. O problema tende a se agravar com o crescimento do número de passageiros. Pesquisas da associação apontam que o setor gerou 5,7 milhões de toneladas de resíduos de cabine em 2017 (dados mais recentes). Sem uma regulamentação que restrinja esse descarte ou que introduza o conceito de economia circular, com novas utilidades para os mesmos objetos, o aumento de lixo é inevitável.

A Emirates Flight Catering (EKFC), uma das principais prestadoras de serviços de bordo do mundo, acaba de apresentar um novo tipo de embalagem, com o objetivo de reduzir os resíduos das suas operações com alimentos. Em vez de adotar o papelão, as caixas passam a ser reutilizáveis, para armazenar e transportar, em média, 100 mil refeições a bordo por dia.
Com a mudança, a EKFC pretende deixar de utilizar 750 toneladas de resíduos de papelão a cada ano. Em comunicado, Saeed Mohammed, CEO da companhia, declarou que essa ação se soma a outras voltadas a uma operação mais sustentável. “Nossa solução para embalagem já é a terceira grande iniciativa que lançamos em um ano, para reduzir nossa pegada ambiental.”
Em setembro, a EKFC anunciou a aquisição de um sistema de energia solar para as suas instalações, que deve gerar 4.195 megawatts-hora de eletricidade por ano – o suficiente para atender a 15% da demanda de energia das instalações de lavanderia, fabricação de alimentos e acomodações de funcionários.
Desperdício
A empresa também comunicou que vai construir a maior fazenda vertical do mundo, por meio de uma joint-venture, com a empresa americana Crop One, líder do setor. O ambiente controlado de 12 mil metros quadrados terá capacidade para produzir, por dia, 2.700 quilos de verduras livres de herbicidas e pesticidas, com redução de 99% no uso de água em relação ao método tradicional.
Pesquisa feita pela Iata aponta que cerca de 20% dos resíduos de cabines incluem alimentos e bebidas que nem sequer foram tocados. Só o serviço de bufê nos voos representou, em 2017, um mercado de US$ 15 bilhões. Ao se fazer as contas para calcular o tamanho do desperdício, fica ainda mais patente para a indústria da aviação a necessidade de melhorar o planejamento e a logística para esse tipo de insumo. Mas não é só esse setor que precisa rever procedimentos. Por ano, o desperdício global leva ao descarte de 1,3 bilhão de toneladas de alimentos.
A Iata reclama que os controles nacionais de gerenciamento de resíduos ajudam a limitar o lixo produzido durante os voos, mas muitos países não aderiram a esse tipo de regra e adotaram restrições ao descarte de restos de refeições gerados em voos internacionais, para proteger seu setor agrícola de possíveis contaminações. “Esses requisitos restritivos impedem a reutilização e reciclagem de refeições em cabines de companhias aéreas produtos de voos internacionais”, informa a associação.

Projeto Prato Limpo elimina 60% de desperdício de alimentos em hospital

Iniciativa proposta pela Diretoria do hospital foi abraçada por colaboradores, que conseguiram derrubar altos índices de desperdício. Esta ação faz parte do Planejamento Estratégico da instituição, que prevê trabalhar com ações que visam a sustentabilidade e utilização correta de seus recursos.

A observação da Nutricionista do HRA – Hospital Regional de Araranguá, Márcia Scarabelot Hubbe, que realizou um estudo sobre o desperdício de alimentos servidos aos funcionários durante os meses anteriores a setembro no HRA fez com que a responsável pelo Serviço de Nutrição e Dietética (SND) do hospital buscasse estratégias para minimizar as consequências deste resultado assustador. Durante esses estudos, Márcia percebeu que apenas no mês de agosto, foram parar no lixo, 83 quilos de alimentos – e isso tem reflexos diretos na economia.

A profissional fez o dever de casa, já que seu departamento é responsável pelo preparo e distribuição das refeições, com a responsabilidade de garantir a qualidade e segurança alimentar, desde o pré-preparo até a distribuição. O planejamento do cardápio, tipos de alimentos utilizados e quantidade a ser adquirida, estabelecem um equilíbrio entre as necessidades nutricionais e os custos das refeições. Além do planejamento, existem outros fatores que geram o desperdício: as sobras de alimentos descartados pelos colaboradores.

Projeto – O trabalho começou com a conscientização sobre as consequências do desperdício de alimentos. Somado à conscientização, Márcia propôs um desafio aos funcionários do HRA: quem deixasse o prato limpo, teria direito a um cupom e concorreria a prêmios. Cartazes foram espalhados pelo hospital com a frase: “Deixe seu prato Limpo e ganhe um cupom para concorrer a um prêmio surpresa”. O incentivo deu muito certo: a campanha, que iniciou em 01 de setembro, conseguiu diminuir o desperdício em cerca de 62% no mês de setembro, o primeiro de vigência do projeto “Prato Limpo”.

Resultados – “Os funcionários ficaram muito impactados com a pirâmide de alimentos desperdiçados em agosto, que apresentamos para eles, e passaram a ter mais consciência das consequências do desperdício”, comemora a nutricionista, que diz que em setembro, o desperdício, que era em média, de 83 quilos por mês, caiu para 32 quilos: “Com esse resultado surpreendente na redução do desperdício em alimentos agora temos a certeza que nossos colaboradores estão mais conscientes em relação ao desperdício alimentar”, finalizou.

Redução de desperdício vira mais de 100 hortas na África

Em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação, celebrado anualmente pela FAO em 16 de outubro, a Costa Cruzeiros reafirma seu compromisso de reconhecer o valor dos alimentos.

Por meio do 4GoodFood, um programa que estabelece um marco para a indústria marítima global, a Costa Cruzeiros determinou a si mesma a meta de reduzir pela metade o desperdício de alimentos a bordo de seus navios até 2020, dez anos antes do prazo da Agenda 2030 da ONU. Hoje, 18 meses após a implementação do projeto em toda a frota, o 4GoodFood reduziu mais de 35% no desperdício de alimentos a bordo.

“Todos os dias do ano fazemos o máximo possível, em toda nossa frota, para ajudar a alcançar os objetivos promovidos pela FAO no Dia Mundial da Alimentação. Colocamos, no programa 4GoodFood, esforços conjuntos para trilhar um caminho cada vez mais permanente no reconhecimento do valor dos alimentos e do consumo responsável”, afirma Stefania Lallai, diretora de Sustentabilidade e Relações Externas da Costa Cruzeiros.

O 4GoodFood é um projeto integrado de longo alcance, começando com uma revisão do processo de preparação de pratos e envolvendo ativamente hóspedes e tripulantes. Uma parte integrante do programa é a campanha de comunicação a bordo Taste don’t Waste, que tem como objetivo incentivar o consumo responsável nos buffets dos navios. A campanha aborda valores e emoções e estimula as práticas por meio da sensibilização em vez da imposição, uma vez que, além de estarem de férias, os hóspedes devem ter sua cultura respeitada.

Como resultado, a companhia doa o equivalente economizado por seus hóspedes à comunidade. Até agora, a Costa adotou cerca de 100 hortas no Quênia, Moçambique, Madagascar, África do Sul e Tanzânia, em apoio ao projeto “Food Gardens in Africa” promovido pela Fundação Slow Food para a Biodiversidade.

Em parceria com a instituição de caridade Fondazione Banco Alimentare Onlus, a Costa distribuiu 150.000 porções de refeições preparadas, mas não consumidas a bordo. Esses alimentos são descarregados regularmente em vários portos da Itália, como Savona, Civitavecchia, Bari, Palermo, Gênova e Nápoles, e também em Marselha (França), Barcelona (Espanha), Guadalupe e Martinica, onde são distribuídos para 12 associações beneficentes. O objetivo da Costa Cruzeiros é envolver também outros portos e estender ainda mais o programa de doação de alimentos excedentes, a fim de alcançar o maior número possível de comunidades desfavorecidas.

Além disso, graças à parceria com a Winnow, a Costa mapeia a cozinha de seus navios, mantendo um registro centralizado que contém quantificação e análise em tempo real do desperdício de alimento que acontece no processo de preparo das comidas.

Sobre a Costa Crociere

A Costa Crociere é a companhia marítima italiana integrante da Carnival Corporation & plc, a maior empresa de cruzeiros do mundo. Há 71 anos a frota da Costa Crociere navega pelo mundo e oferece o melhor do estilo italiano, da hospitalidade a alta gastronomia, fazendo das férias uma experiência única a bordo. As embarcações incluem o que há de mais moderno em diversão, além de oferecer opções para aqueles que desejam relaxar. Possui 15 navios em serviço, a maior frota da Europa.

Além disso, dois navios de última geração serão entregues em 2019 e 2021: eles apresentam um “projeto verde” revolucionário e será conduzido por gás natural liquefeito (GNL), combustível fóssil mais limpo do mundo, o que representa um grande avanço ambiental. A Costa reflete a excelência italiana surpreendendo seus clientes todos os dias com experiências de férias únicas e inesquecíveis graças aos 27.000 associados de Costa em todo o mundo que, por sua vez, trabalham todos os dias para oferecer o melhor da Itália em férias de cruzeiro por meio de 140 itinerários diferentes, 261 destinos e 60 portos de embarque.

Guarulhos lança projeto para reduzir o desperdício na alimentação escolar

Visando a conscientizar a equipe escolar e os alunos da rede municipal, a Prefeitura de Guarulhos lança o projeto Tchau Desperdício a fim de reduzir o desperdício na alimentação escolar e estimular o aluno a refletir sobre o tema. A ação dá continuidade à campanha Gestos Simples que Transformam, que tem por objetivo incentivar a reflexão sobre os sistemas alimentares e o impacto do desperdício, sensibilizar quanto à sustentabilidade ambiental e multiplicar o tema para a comunidade escolar.

Em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação, celebrado em 16 de outubro, o projeto foi lançando neste mês e contou com a participação das escolas da Prefeitura de Guarulhos Jean Piaget, Jorge Amado, Patrícia Galvão e Selma Colalillo. O objetivo é dar continuidade ao projeto em 2020, quando todas as unidades escolares poderão aderir e receber o selo Tchau Desperdício.

Nesta primeira etapa, as escolas tiveram o acompanhamento dos nutricionistas da Prefeitura de Guarulhos, que realizaram ações como apresentar o projeto, definir estratégias e atividades com a equipe escolar, acompanhar as refeições dos alunos por um dia, pesar sobras sujas e limpas, separar as cascas em outra lixeira e calcular o desperdício de alimentos de cada unidade escolar.

A segunda etapa conta com a sensibilização, na qual os nutricionistas apresentam aos alunos o panorama geral do desperdício por meio de vídeos e slides, realizam atividades lúdicas sobre o tamanho das porções das refeições e certificam alunos como fiscais do desperdício.

Já a terceira envolve equipe escolar, alunos e comunidade. Os alunos certificados multiplicarão as informações e reflexões ao restante da comunidade escolar, elaborando novas estratégias com auxílio dos professores.

A quarta etapa fica por conta da avaliação dos nutricionistas, que supervisionam se as unidades escolares deram continuidade ao projeto. O acompanhamento da equipe escolar e a participação dos educandos são fundamentais para o êxito dos resultados contra o desperdício.

Xô desperdício

Na EPG Patrícia Galvão, localizada no Cabuçu, as cozinheiras já trabalham no combate de desperdício de alimentos. A cozinheira Gislaine Bento da Silva explica que quando os alimentos chegam já são manipulados e congelados para não haver o desperdício. “Todos os dias procuramos contar o número de alunos assim que eles entram na escola a fim de fazer a quantidade necessária das refeições. No momento de servir as crianças, colocamos o prato fracionado e oferecemos de tudo um pouco. Como conhecemos as crianças, a gente tem aquele carinho de saber quem come mais, menos e quem gosta de repetir”, destacou.

Por sua vez, a diretora Jani Serrasqueiro Cardoso ressalta ainda que existe todo um envolvimento da equipe escolar nesta inciativa e conta que o Projeto Tchau Desperdício só tem a agregar na comunidade escolar. “Este é um trabalho muito importante. As professoras estão bem empolgadas e trabalhando bastante com o tema. Além disso, as cozinheiras da escola vão até as salas fazer perguntas e palestras de conscientização, contribuindo com a construção do conhecimento crítico das crianças”, finalizou.

Comissão aprova doação de alimentos próximos de vencer para o combate do desperdício

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou o Projeto de Lei 211/19, que incentiva o empresariado a doar alimentos com prazo de validade próximo, desde que estejam próprios para consumo. O texto altera o Código de Defesa do Consumidor (CDC) com o objetivo de evitar desperdícios.

A proposta foi aprovada na forma do substitutivo apresentado pelo relator, deputado Enéias Reis (PSL-MG), ao texto original do deputado Roberto de Lucena (Pode-SP). O substitutivo refere-se apenas a alimentos, pois a comissão entendeu que a parte do projeto original sobre medicamentos deve ser tratada em separado, por meio de outra proposta.

“A rejeição da parte relacionada à doação de medicamentos não significa carência de mérito, trata-se apenas de algo que decorre de normas legais e regimentais”, explicou Enéias Reis. “Assim, podemos dar celeridade à proposta relacionada à doação de alimentos, a fim de conseguir incentivar essas ações solidárias”, disse.

O substitutivo em tramitação na Câmara dos Deputados refere-se a alimentos in natura, industrializados ou preparados e servidos, acondicionados ou embalados de forma adequada. Deverá ser informado do beneficiário o motivo da doação, e o doador deverá respeitar as obrigações legais relacionadas ao controle sanitário.

Tramitação
O projeto ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois, seguirá para o Plenário.

Fonte: Câmara dos Deputados

 

loading