Suflê de Brócolis

Autor: Henrique de França Martins

Tempo de preparo: 35 minutos

Quantidades/Porções: 1 suflê grande

Ingredientes:
Talos e folhas de brócolis
4 ovos
100 ml de leite
50g de manteiga
50g de farinha de trigo
100g de parmesão ralado

Modo de fazer:

  1. Pré aqueça o forno a 180˚C.
  2. Cozinhe as folhas e talos de brócolis e bata no liquidificador junto com o leite até obter uma mistura bem verde e liquida, peneirar o liquido em um recipiente e reservar.
  3. Bater as claras em neve e reservar.
  4. Em uma panela anti-aderente  derreta a manteiga e junte a farinha mexendo até obter uma mistura homogênea.
  5. Acrescentar o líquido dos talos do brócolis e mexer até obter um creme liso.
  6. Adicione as gemas e o queijo e mexa até ficar homogêneo.
  7. Resfrie a mistura e acrescente as claras em neve cuidadosamente.
  8. Unte a forma para suflê com manteiga e farinha, e asse no forno por 25 minutos.
  9. Sirva imediatamente.

Talos de espinafre

Autora: Paola Carosella

Talos de espinafre no vapor com molinho rápido de shoyu- alho-gengibre ralado.

Guarulhos lança projeto para reduzir o desperdício na alimentação escolar

Visando a conscientizar a equipe escolar e os alunos da rede municipal, a Prefeitura de Guarulhos lança o projeto Tchau Desperdício a fim de reduzir o desperdício na alimentação escolar e estimular o aluno a refletir sobre o tema. A ação dá continuidade à campanha Gestos Simples que Transformam, que tem por objetivo incentivar a reflexão sobre os sistemas alimentares e o impacto do desperdício, sensibilizar quanto à sustentabilidade ambiental e multiplicar o tema para a comunidade escolar.

Em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação, celebrado em 16 de outubro, o projeto foi lançando neste mês e contou com a participação das escolas da Prefeitura de Guarulhos Jean Piaget, Jorge Amado, Patrícia Galvão e Selma Colalillo. O objetivo é dar continuidade ao projeto em 2020, quando todas as unidades escolares poderão aderir e receber o selo Tchau Desperdício.

Nesta primeira etapa, as escolas tiveram o acompanhamento dos nutricionistas da Prefeitura de Guarulhos, que realizaram ações como apresentar o projeto, definir estratégias e atividades com a equipe escolar, acompanhar as refeições dos alunos por um dia, pesar sobras sujas e limpas, separar as cascas em outra lixeira e calcular o desperdício de alimentos de cada unidade escolar.

A segunda etapa conta com a sensibilização, na qual os nutricionistas apresentam aos alunos o panorama geral do desperdício por meio de vídeos e slides, realizam atividades lúdicas sobre o tamanho das porções das refeições e certificam alunos como fiscais do desperdício.

Já a terceira envolve equipe escolar, alunos e comunidade. Os alunos certificados multiplicarão as informações e reflexões ao restante da comunidade escolar, elaborando novas estratégias com auxílio dos professores.

A quarta etapa fica por conta da avaliação dos nutricionistas, que supervisionam se as unidades escolares deram continuidade ao projeto. O acompanhamento da equipe escolar e a participação dos educandos são fundamentais para o êxito dos resultados contra o desperdício.

Xô desperdício

Na EPG Patrícia Galvão, localizada no Cabuçu, as cozinheiras já trabalham no combate de desperdício de alimentos. A cozinheira Gislaine Bento da Silva explica que quando os alimentos chegam já são manipulados e congelados para não haver o desperdício. “Todos os dias procuramos contar o número de alunos assim que eles entram na escola a fim de fazer a quantidade necessária das refeições. No momento de servir as crianças, colocamos o prato fracionado e oferecemos de tudo um pouco. Como conhecemos as crianças, a gente tem aquele carinho de saber quem come mais, menos e quem gosta de repetir”, destacou.

Por sua vez, a diretora Jani Serrasqueiro Cardoso ressalta ainda que existe todo um envolvimento da equipe escolar nesta inciativa e conta que o Projeto Tchau Desperdício só tem a agregar na comunidade escolar. “Este é um trabalho muito importante. As professoras estão bem empolgadas e trabalhando bastante com o tema. Além disso, as cozinheiras da escola vão até as salas fazer perguntas e palestras de conscientização, contribuindo com a construção do conhecimento crítico das crianças”, finalizou.

Comissão aprova doação de alimentos próximos de vencer para o combate do desperdício

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou o Projeto de Lei 211/19, que incentiva o empresariado a doar alimentos com prazo de validade próximo, desde que estejam próprios para consumo. O texto altera o Código de Defesa do Consumidor (CDC) com o objetivo de evitar desperdícios.

A proposta foi aprovada na forma do substitutivo apresentado pelo relator, deputado Enéias Reis (PSL-MG), ao texto original do deputado Roberto de Lucena (Pode-SP). O substitutivo refere-se apenas a alimentos, pois a comissão entendeu que a parte do projeto original sobre medicamentos deve ser tratada em separado, por meio de outra proposta.

“A rejeição da parte relacionada à doação de medicamentos não significa carência de mérito, trata-se apenas de algo que decorre de normas legais e regimentais”, explicou Enéias Reis. “Assim, podemos dar celeridade à proposta relacionada à doação de alimentos, a fim de conseguir incentivar essas ações solidárias”, disse.

O substitutivo em tramitação na Câmara dos Deputados refere-se a alimentos in natura, industrializados ou preparados e servidos, acondicionados ou embalados de forma adequada. Deverá ser informado do beneficiário o motivo da doação, e o doador deverá respeitar as obrigações legais relacionadas ao controle sanitário.

Tramitação
O projeto ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois, seguirá para o Plenário.

Fonte: Câmara dos Deputados

 

Agricultura familiar emprega mais de 10 milhões de pessoas, mostra Censo Agropecuário

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta sexta-feira (25) os dados consolidados do Censo Agropecuário de 2017. O levantamento foi feito em mais de 5 milhões de estabelecimentos agropecuários de todo o país e destaca, dentre outras, informações sobre agricultura familiar, mecanização, pessoas ocupadas e acesso à internet. O primeiro Censo Agropecuário foi publicado em 2006.

A edição de 2017 aponta que 77% dos estabelecimentos agropecuários foram classificados como agricultura familiar. Em extensão de área, a agricultura familiar ocupava no período da pesquisa 80,9 milhões de hectares, o que representa 23% da área total dos estabelecimentos agropecuários brasileiros.

Segundo o levantamento, a agricultura familiar também emprega mais de 10 milhões de pessoas, o que representa 67% do total de pessoas ocupadas na agropecuária em 30 de setembro do ano passado. A agricultura familiar também foi responsável por 23% do valor total da produção dos estabelecimentos agropecuários.

Conforme o censo, 15,1 milhões de pessoas estavam ocupadas em estabelecimentos agropecuários em 2017, redução de de 1,4 milhão em comparação ao levantamento de 2006. Na agricultura familiar, a população ocupada caiu 2,166 milhões. Nos demais estabelecimentos, o oferta de trabalho cresceu e a população ocupada subiu mais 702,9 mil no período analisado (2006 a 2017).

De 2006 para 2017, cresceu em 143% a contratação de mão de obra para os estabelecimentos agropecuários com intermediação de terceiros (empreiteiros, cooperativas e empresas), passando de 251.652 para 611.624 no período.

Inovação no campo

Em 2017, 502.379 estabelecimentos informaram que usavam algum tipo de irrigação, um aumento de mais de 50%. O total da área irrigada cresceu 47,6% e somou 6,69 milhões de hectares.

Em relação ao acesso à internet no campo, 1.430.156 produtores declararam ter acesso (659 mil banda larga e 909 mil por internet móvel), um incremento de 1900%. Em 2006, apenas 75 mil estabelecimentos tinham acesso. O acesso a telefone passou de 1,2 milhão para 3,1 milhões.

No Censo Agro 2017, o IBGE investigou pela primeira vez a cor ou raça dos produtores rurais: 52,8% deles eram pretos ou pardos e 45,4% eram brancos, numa distribuição semelhante à da população do país, segundo a PNAD Contínua.

Confira a íntegra do Censo Agro 2017.

* Com informações da Agência de Notícias do IBGE

Fonte: Ministério da Agricultura

Dicas de Paola Carosella contra o desperdício

@comidainvisivel está organizando um grande livro de receitas e dicas de não desperdício, e me desafiou a participar. Desafio lançado, desafio cumprido! Taí dicas suculentas para o #desafiodonaodesperdicio

Compre em feiras livres e em feiras de produtores orgânicos – comprar direto do produtor é mais barato para você e representa mais renda para eles.

Aproveite para conversar com quem planta, pegar dicas e receitas – eles sabem muito sobre aproveitamento total.

Por exemplo: talos e folhas de muitos dos legumes que você come também são comestíveis.

Se for fazer bolo de banana experimente fazer usando as bananas com casca.

Talos dos brócolis fatiados fininhos e refogados na manteiga lembram os chiques aspargos e são deliciosos.

Ossos de frango assado podem voltar para a panela com cebola, alho e água para virar um excelente caldo base para sopas.

E não poderia deixar de incluir aqui uma outra dica: olhe para o chão e para o céu, na rua e nos parques – o Brasil tem comida de graça nas árvores e nos matos.

É só postar e indicar outros amigos a fazer também, para termos um grande livro coletivo e aberto de receitas e dicas de não desperdício para o bem maior do planeta.
#comidainvisivel #desafiodonaoderperdicio #porummundosemdesperdicio #seeumudoomundomuda #bastaumolhar

Instagram: paolacarosella

Casca louca e Farofa de banana da Terra

Autora: Camila Yazbek, via Escola Wilma Kovesi

Nada se perde, tudo se transforma (ou reaproveita!).⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Estamos participando do #DesafioDoNaoDesperdicio, um projeto da @comidainvisivel, e hoje resgatamos a receita da chef Camila Yazbek CASCA LOUCA E FAROFA DE BANANA DA TERRA, ensinada em aula sobre uso integral de alimentos organizada na Escola pela Associação Prato Cheio (@associacaopratocheio).
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Confira a receita da chef Camila Yazbek (@cacayazbek) logo abaixo.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
CASCA LOUCA
rendimento: 5 porções
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Ingredientes:
4 cascas de banana da terra madura
1 tomate
1 pimentão vermelho médio
1 cebola média
1 dente de alho
½ xícara de molho de tomate
½ maço de salsinha
1 colher de sopa de azeite
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Modo de fazer:

  1. Raspe e retire a parte branca interna da banana. Corte em cubos.
    Refogue o alho no azeite, acrescente e a cebola até ficar translúcida.
    Acrescente o pimentão e a casca da banana.
  2. Acrescente o tomate.
  3. Quando o tomate secar, acrescente o molho de tomate e ½ xícara de água.
  4. Deixe cozinhar até a casca da banana amolecer. Se necessário coloque mais água.
  5. Tempere com sal e cheiro verde.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

FAROFA DE BANANA DA TERRA

rendimento: 5 porções
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Ingredientes:
2 colheres de (sopa) de manteiga
1 colher de (sopa) de azeite
1 dente de alho
2 bananas da terra em cubos
1 xícara de farinha de mandioca
Sal a gosto
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Modo de fazer:

  1. Em uma frigideira, coloque a manteiga e o azeite em fogo baixo. Deixe derreter.
  2. Refogue o alho.
    Aumente o fogo para médio, coloque as bananas e não mexa até estarem douradas na superfície de baixo.
  3. Mexa e doure por todos os lados, usando a mesma técnica.
  4. Tempere com sal.
  5. Acrescente a farinha e mexa deixando a farinha torrar.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    #escolawilmakovesi #escolawilmakovesidecozinha #diamundialdaalimentação #semdesperdício #gastronomiasp

Instragram: escolawilmakovesi

 

Pão doce de jabuticaba

Autor: Quintal da Aurélia

Pronto! aqui está o pão doce desta Quinta no Quintal. E ele é muito especial, não só porque é feito com farinha orgânica, fermentação 100% natural e todo carinho, mas principalmente porque é resultado do aproveitamento total da primeira colheita da jabuticabeira do nosso Quintal, que já foi considerada estéril.💜
.
@comidainvisivel lançou o #desafiodonaodesperdicio para construir o maior livro de receitas e dicas de não desperdício 🙌🏼
.
e nós por aqui, aproveitamos tudo, tudinho das jabuticabas que colhemos! uma parte virou geleia e a outra virou essa delícia da foto.
.
aqui vai a receita destes enroladinhos, com recheio de aproveitamento de cascas e bagaços.
.
Para a massa:
500g farinha de trigo
25g leite em pó
10g de sal
misture os secos e acrescente
150g de levain bem hidratado e borbulhante ou 10g de fermento biológico seco (caso não tenha familiaridade com o fermento natural),
200g de água
75g de ovos
misture até a massa ganhar corpo e então acrescente aos poucos 150g de manteiga até ficar completamente incorporada.
deixe a massa descansar enquanto prepara o recheio.
.
Para o recheio:
Separe 1 xícara das cascas e polpas previamente aferventadas e processadas até ficarem quase homogêneas com 1/3 de xícara da seguinte calda:
.
bata 150g de açúcar mascavo com 130g de manteiga até ficar cremoso, acrescente então 1g de sal, 60g de mel, 1g de canela e 4g de baunilha .
abra a massa em formato retangular deixando uns 3mm de espessura
.
espalhe a mistura acima formando uma camada fina na superfície da massa deixando uma margem de uns 2 cm em um dos lados, para que esta seja selada.
.
enrole como um rocambole, embale em filme plástico e leve à geladeira por 8-12 horas.
.
Para assar:
Espalhe o que sobrou da calda de açúcar mascavo e manteiga em uma assadeira forrada com papel manteiga que possa ir ao forno. Tire a massa da refrigeração e corte em fatias de mais ou menos 4cm.
Coloque as fatias na assadeira, deixando espaço entre elas, pois ainda vão fermentar mais.
Quando quase dobrarem de tamanho, leve ao forno pré aquecido a 190oC, por 15’.

Instagran: Quintal da Aurélia

Bolo de jabuticaba integral

Autora: Neide Rigo

É tempo de jabuticaba! Esta receita de bolo já tem dois anos que publiquei no blog. Resolvi fazer um bolo comum ao qual incorporei as jabuticabas inteiras, com casca e sementes, partes que costumam ir para o lixo.

Vou repostar aqui hoje porque ganhei ontem dois tantos de jabuticabas de duas amigas e uma opção de aproveitamento é este bolo de aproveitamento integral.

E é com ele que respondo ao desafio feito pela @paolacarosella para participar da campanha da Dani do @comidainvisivel contra o desperdício – estamos juntas! Com a participação coletiva, vamos construir o maior livro de receitas e dicas de não desperdício. Aqui vai a receita, facinha, facinha.

Bolo de jabuticaba integral

Bate no liquidificador 2 xícaras de jabuticabas pequenas inteiras, com casca e semente, com 3 ovos, meia xícara de azeite (ou qualquer gordura), meia xícara de leite (qualquer leite) e 1 e meia xícara de açúcar (qualquer açúcar). Bate até triturar bem.

Passa para uma tigela, junta 2 xícaras de farinha de trigo e 1 colher (sopa) rasa de fermento químico. Mistura bem e assa em forma untada e enfarinhada como qualquer outro bolo.

Desenforma e polvilha com açúcar de confeiteiro fazendo frescura, mas não precisa.

Rende uns 15 pedaços

Dicas na reutilização do arroz

Autor: Marcia

Tempo de preparo: Média de 15 minutos

Ingredientes:
O arroz segundo pesquisa da Embrapa é o item mais desperdiçado pelas famílias.

Para evitar que isso aconteça, tente preparar quantidades adequadas a sua família, mas se mesmo assim sobrar, na próxima refeição aproveite o que sobrou e reinvente o preparo!!

Modo de fazer:
Se sobrou pouquinho prepare bolinhos de arroz ou utilize na receita de torta de liquidificador substituindo parte do trigo por arroz.

Se sobrou muito, faça um molho branco ou vermelho misture ao arroz, acrescente o que tiver em casa que possa enriquecer o sabor. Quem sabe não tem um restinho de carne moída ou um pedacinho de calabresa? Vai ficar uma delícia, aproveitar as sobras e fazer um bem enorme para as finanças da família!!!

Observações: O primordial no reaproveitamento dos alimentos é o amor e capricho!!!
Se simplesmente esquentar uma panela de arroz empelotado com água ninguém vai querer!!!
Mas não tenha dúvida que se preparar um novo prato com capricho e amor, o “soboro” vai fazer tanto sucesso quanto o arroz fresquinho!!!